Blog Vida Animal

  • Vida Animal

Pets e COVID-19. O que você precisa saber!

Com o avanço da doença no mundo e a cobertura intensa pelos meios de comunicação muito se fala sobre o efeito do novo coronavírus em humanos. Mas e cães e gatos? Podem contrair o vírus? O isolamento social muda algo para eles? O Vida Animal esclarece para você.

Os coronavírus são uma família viral descoberta na década de 30 que teve durante os anos diferentes performances na humanidade através de sua característica evolutiva, ou seja, eles se adaptam a nós, hospedeiros, para que não sejam extintos. A maioria das pessoas pode infectar-se com coronavírus diferentes (e menos letais) ao longo da vida, sendo os mais comuns o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1. Como medida protetiva as cidades adotaram o isolamento social, onde toda a população é orientada a permanecer em suas casas até que a curva de contágio do vírus minimize e seja seguro para a população voltar ao convívio coletivo. Neste cenário, há chances de uma pessoa infectada transmitir o vírus para seu pet? Vale recordar que já existem tipos diferentes de coronavírus caninos e felinos, com sintomas bem menos nocivos. Em resultados gerais, o COVID-19 que enfrentamos agora não tem efeitos relevantes no organismo dos nossos bichinhos, porém, devemos sempre cuidar e evitar que eles contraiam o vírus, pois pode se agravar e se tornar algo mais grave, já que é algo novo e não sabemos ao certo como pode evoluir nos pets. Mas e os casos comprovados? Em Hong Kong, um lulu-da-pomerânia de um tutor portador de COVID-19 foi testado como "fraco positivo" para o vírus. Uma tigresa do Zoológico de Nova York também foi testada como positivo para o novo vírus, todavia os sintomas manifestados foram apenas tosses secas e redução de apetite. Embora dados nos confortem sobre a segurança de nossos pets contra COVID-19 (visto que as evidências são mínimas quando comparadas a casos humanos) não se deve descartar o pet como vetor de contágio para humanos. Se uma pessoa portadora do vírus contaminar o pelo do animal, é possível que uma segunda pessoa sofra o contágio, caso entre em contato com o pet. A recomendação é que neste momento se evite o contato pet com pessoas que não sejam seus tutores. “Se você está doente com a COVID-19, evite o contato com seu animal de estimação, incluindo acariciar, aconchegar-se, ser beijado ou lambido e compartilhar alimentos”, (...) “Se você precisar cuidar do seu animal de estimação ou ficar perto de animais enquanto estiver doente, lave as mãos antes e depois de interagir com os animais e use uma máscara facial.” Diz o CDC, Centro de Controle e Prevenção de Doenças.

Fontes: Ministério da Saúde, Revista Saúde, Revista Superinteressante. Mais informacões: www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/faq.html#covid19-animals

33 visualizações